Buscar
  • Sinsenat

NOTA DE DESAGRAVO


Nota de desagravo contra as ofensas feitas, em plenário da Câmara Municipal de Natal, pelo vereador Cícero Martins (PSL) a sindicalista Soraya Godeiro Massud, Coordenadora Geral do SINSENAT, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal.


Nessa Nota não cabe descrever e testemunhar o orgulho que temos da nossa maior e eterna dirigente, Soraya Godeiro Massud.


Soraya Godeiro Massud nasceu em Natal/RN pertencente ao lado “clã” da classe trabalhadora da família Godeiro, por parte de mãe, oriunda de Patu/RN; do lado paterno, seus avós fugiram aos 17 (dezessete) anos em um porão de um navio da cidade de Bichara no Líbano ao Brasil, por perseguição religiosa por serem Cristãos.


Anos depois nasce Soraya Godeiro Massud no dia 21/11/1962, dia da Padroeira de Natal. Uma criança que desafiou o destino. Aos 13 anos passou no rigoroso exame de admissão para ingressar no Colégio Atheneu, frequentado pelos filhos da elite potiguar nos anos setenta. Já nesses anos questionava o fato de o Brasil ser, ao mesmo tempo, um país com ricos e de miseráveis. Quando da visita do presidente Geisel à Natal, durante a qual todos deveriam estar com bandeirinhas verdes e amarelas na avenida (hoje BR 101) do Bairro de Potilândia, ela desafiou o "comunicado” e não compareceu. À época, não compreendia ainda que as desigualdades eram causadas pelo modo capitalista como a sociedade brasileira estava e está organizada.


Ao ingressar na UFRN, em 1980, aos dezessete anos, teve uma profunda crise de tristeza como se aquele mundo não a pertencesse de tão elitizada que era a UFRN. Mas, com a ajuda de pessoas maravilhosas, superou! Da tristeza veio a compreensão da realidade ao ingressar no movimento estudantil e lutar por uma sociedade justa e igualitária.

Em 1986 ingressou no serviço público municipal. São trinta e três anos de luta pelos direitos da classe trabalhadora a qual pertence. Uma Mulher militante, mãe, avó e que se permite amar quando o amor acontece.


Em toda a sua trajetória de vida não há um único fato que desabone a sua conduta, muito pelo contrário. Militante do SUS público e de qualidade, através do Conselho Gestor de Unidade de Base, lutou e implantou o primeiro Pronto-atendimento 24 horas da Zona Norte de Natal, no bairro do Pajuçara. Perseguida por apoiar a candidatura de Fátima Bezerra em 1996 à Prefeitura de Natal foi transferida para Unidade de Saúde do Guarapes. Em 2003, quando eleita presidente do Sinsenat, durante a sua gestão transformou a Entidade Sindical de ruínas em um dos maiores do ramo municipal do país.


Sempre se portou de forma respeitosa em centenas de atos, mobilizações e manifestações legítimas na Câmara Municipal. Não há um único registro de incidente. Mediou e evitou o uso da força, violência e repressão em muitas situações como na ocupação da Reitoria da UFRN nos anos 80, da Câmara Municipal e do prédio da Prefeitura. E essa sua conduta não foi diferente no dia 17 de abril de 2019, mais uma vez, na Câmara Municipal do Natal.


O SINSENAT tomou conhecimento que no dia anterior, 16 de abril de 2019, uma simples proposta de iniciativa parlamentar de uma comenda em homenagem à vereadora Marielle Franco tinha sido obstruída pelo Vereador Cícero Martins. Assim, o SINSENAT e dezenas de Organizações, Instituições e Mandatos Populares foram mobilizados para apoiar a aprovação da COMENDA MARIELLE FRANCO na Câmara Municipal.


Chegando ao local, as galerias da Câmara Municipal estavam ocupadas por 90% de organizações em apoio à Comenda e, também, estava presente um pequeno grupo de representantes do MBL, contrário a aprovação da Comenda. Estava tudo tranquilo até o momento em que o vereador Cícero Martina saiu do plenário para proferir palavras de baixo calão, chegando a tentar agredir fisicamente o representante da OAB, Thiago Apoeny Barbalho de Melo. A agressão física só não aconteceu devido a interferência da nossa companheira Soraya Godeiro Massud. Após isso, um dos apoiadores do referido vereador, o senhor Severino Sabino da Silva entrou com uma imensa faixa na galeria, na tentativa de provocar aqueles que não concordavam com o seu posicionamento. Os seguranças da Casa retiraram a faixa e ainda assim, ele retornou. A Guarda Municipal entrou na galeria e retirou novamente a faixa. Então, o Senhor Severino Sabino da Silva, levantou-se e com dedo em riste, chamou o nosso companheiro dirigente sindical do Sinsenat, Francisco Assis de Melo, nosso querido Negão, de "macaco".


Do plenário, após ver todas as tentativas de obstrução no processo de votação serem derrotadas para aprovação da COMENDA MARIELLE FRANCO, o vereador Cícero Martins além de agredir seus pares se referiu à nossa Coordenadora Geral, Soraya Godeiro, com palavras pejorativas e de baixo calão.


Nossa palavra de ordem na vida é RESISTÊNCIA! Todas as providências que cabem a Entidade Sindical estão sendo tomadas. Da mesma forma aguardamos que providências cabíveis para combater esse tipo de comportamento sejam tomadas por todas as organizações sociais presentes na Câmara Municipal durante o ocorrido - inclusive pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Precisamos dar respostas às provocações, feitas de maneira extremamente ofensivas pelo vereador Cícero Martins.


SINSENAT – SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE NATAL – GESTÃO SOMOS DE LUTA!

0 visualização
  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • YouTube ícone social

© 2019 

Website criado pelo SINSENAT